segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Da Morte e da Vida


A morte é um rito de passagem. É a renovação da vida. Se algo está morrendo, é para dar 
Espaço ao novo. Não se assuste nem lamente. A morte é tão natural quanto a vida.
Ela é um processo corriqueiro da existência. Celebre a morte do velho.
Ele lhe foi muito importante em algum momento da sua vida.
Mas ele lhe ensinou tudo que devia e agora precisa partir.
Deixe-o ir.
Amamente e embale o novo.
Permita que ele cresça forte e saudável.
Assim ele poderá lhe passar os ensinamentos que traz.
A morte é necessária para limpar os campos para a nova semeadura.
Mantenha-se em paz. A morte não extinguirá a vida que brota na nascente.
Tenha fé e deixe a morte fazer seu trabalho. O rio fluirá melhor depois de limpo.

Vinte de Outubro de 2011

3 comentários:

Anderson Meireles disse...

Esse texto é um retrato de maturidade.
Abraço, menina tão velha quanto eu!

Poeta da Colina disse...

Abrir mão é melhor caminho para paz.

Cromossômico Subjetivo disse...

Isso! =)