terça-feira, 21 de março de 2017

À sua gargalhada



       Ouvir sua gargalhada, depois de tanto tempo, foi o meu presente do dia. Uma comoção inesperada tomou-me. Arrancou-me sorrisos também. Arrancou-me o brilho esquecido do olhar. Do resplendor interno, brotaram lágrimas ao sol do meio-dia. Lágrimas atípicas. Lágrimas brilhantes, doces. Lágrimas de Amor.
          Ouvir sua gargalhada, depois de tanto tempo, foi o meu presente do dia. Uma quinta-feira como outra qualquer. Quem poderia imaginar que tamanha emoção me tomaria? Uma quinta-feira como outra qualquer.  Mas a sua gargalhada não foi como outra qualquer. Foi singular.
          Ouvir sua gargalhada, depois de tanto tempo, foi o meu presente do dia. Uma gargalhada. Uma, apenas. Uma gargalhada tão singela e despretensiosa, tão espontânea e sincera, que mudou o meu dia.
        Ouvir sua gargalhada, depois de tanto tempo, foi o melhor presente que eu poderia ter recebido. Agradeço por ter podido estar presente, para ouvi-la, saboreá-la e comover-me com ela.