quarta-feira, 8 de agosto de 2012

Semente


foto Ronai Rocha

A floresta me suga.
Eu murcho sem sumo.
Não me deixe criar raízes aqui, por favor.
Eu quero ser pássaro, quero ser água.
Veja as cordilheiras, os vales, os jardins!
Acorde desta floresta escura.
As árvores são lindas
Mas as folhas secas quebrando me angustiam.
Quero simplesmente fluir.
Encontrar novos céus, novas nascentes.
Ser flor.
Quebrai, pois, tua casca dura!
A semente ouviu.
Remexeu-se nos braços da Mãe-terra.

2 comentários:

Cromossômico Subjetivo disse...

Ainda hoje, passei aqui para ver como andava o seu caminho de palavras... Parece que você conseguiu sentir que por aqui eu passei ou que eu percebi, intuitivamente, que um novo poema estava deixando de ser semente para ser feito planta escrita!

Poeta da Colina disse...

Sentimento para nascer, enraiza.